06
abr
15

Planejamento: utopia no futebol brasileiro

Muricy Ramalho, o mais novo técnico no mercado (foto: Globo Esporte/ Marcos Ribolli)

Muricy Ramalho, o mais novo técnico no mercado (foto: Globo Esporte/ Marcos Ribolli)

Mereceu ou não mereceu? Certo ou errado? Bom ou ruim? Essas são algumas perguntas feitas por dirigentes, jogadores e torcedores quando um técnico é demitido de um clube. O campeonato brasileiro ainda nem começou e já tem técnico precisando preencher currículo no futebol brasileiro. Enderson Moreira, que já arrumou clube, Wagner Lopes, ex-comandante do Goiás, e Muricy Ramalho são os caras que já tiveram seus vínculos encerrados com seus clubes nesse ano de 2015. Depois de tantas perguntas sobre o mérito da demissão ou não, a que realmente não quer calar é: onde está o planejamento?

Um novo ano começa. Comissão técnica e diretoria se reúnem e debatem sobre os objetivos para a nova temporada, novos reforços e o que deve ser corrigido do ano passado. Ou, um novo técnico chega, se reúne com os diretores, pede algumas contratações e pensa nas metas do clube para o ano. Isso é o que pensamos que acontece, e provavelmente os clubes fazem. Novos jogadores, investimentos, patrocinadores. Praticamente, a expectativa de todos no time são altas. Logo, pensamos que os clubes se planejam para o ano de futebol. Isso está longe de acontecer no Brasil.

A prova que não há planejamento é a demissão precoce dos treinadores das equipes, e alguns sem um motivo específico. O primeiro deles foi Enderson Moreira, ex-treinador do Santos. Tudo estava caminhando bem para o clube no campeonato paulista. O time tinha umas das melhores campanhas do torneio, mesmo com o jogador com mais bagagem, Robinho, não brilhando nas partidas. Porém, um possível desentendimento com os garotos que acabaram de subir para a base e uma desaprovação dos medalhões da equipe, forçaram o treinador a deixar o comando. Se havia todo um projeto do “professor” para o ano, ele foi por água abaixo.

Após o Santos mudar sua comissão técnica, foi a vez do Goiás fazer o mesmo. O cenário é quase igual ao do clube paulista. Aproveitamento de 75% no campeonato goiano, e classificação para a segunda fase da Copa do Brasil. Mas, como Wagner Lopes não tinha a aprovação de todos na diretoria e o futebol não era o mais vistoso, o treinador foi mandado embora.

O mais recente caso, Muricy Ramalho. O treinador com uma bela história no clube. Venceu três campeonatos brasileiro e ficou em segundo lugar no ano passado. Aparentemente, todos adoravam o treinador. Mas as fracas atuações do clube e dos principais jogadores, os péssimos resultados nos grandes jogos do ano, a briga com a atual diretoria e os problemas de saúde tiraram o treinador do cargo. Aidar, pelo tom das entrevistas, nunca teve fé em seu comandante técnico. Muitas partidas que o comandante não ficou a beira do campo por conta de problemas físicos. Motivos da demissão um dos maiores treinadores do clube. E mais uma vez, todo o plano que o São Paulo tinha para esse ano vai ter que ser refeito.

Com uma troca no comando técnico em um clube, há toda uma mudança na maneira de trabalho. Novos treinos, novas preferências de jogos e,

com certeza, novos jogadores. Isso atrapalha demais um time ao longo de uma campanha. E se a diretoria ou jogadores comentem erros, a bomba explode toda no treinador. Uma máxima do futebol é certa: é mais fácil mandar um embora que vinte e dois.

O planejamento nos clubes é uma utopia no futebol. Já que não levado em conta campanhas ou desenvolvimento do time, mas sim o resultado. E pode ser Jesus Cristo comandando o time, se não vencer vai ser mandando embora, ou, em alguns casos, o ego se torna uma justificativa para demissão.

Enquanto não tentarem amenizar esse problema, que é quase incurável, o futebol brasileiro só tem a perder.


1 Response to “Planejamento: utopia no futebol brasileiro”


  1. 1 Luiz
    07/04/2015 às 15:45

    Bom post Mecca, o que acho curioso é que times que eram exemplo de “planejamento” se tornaram totalmente desorganizados, como o SP, santos, fluminense, Gremio. Hoje, talvez, tenhamos no Brasil o Corinthians, Palmeiras, Cruzeiro e Flamengo como times que estejam buscando um melhor planejamento, enquanto os outros parecem nem se importar com isso, e estão “empurrando com a barriga”, vamos ver onde isso vai parar… infelizmente essa falta de planejamento é notoria em todas as esferas do futebol brasileiro, e doi quando lembro que estao querendo voltar a disputa por pontos corridos… enfim, a nossa paixao pelo futebol é o que nos faz ter esperança que um dia seremos “europa”.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Categorias

Gabriel Mecca

Mecca Esportes
Para ficar por dentro do que acontece nos esportes no Brasil e no Mundo.

Número de Visitas

  • 161,756 hits

Me segue no twitter

RSS Ocasional

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Ocioso


%d blogueiros gostam disto: